sábado, 25 de junho de 2011

5 comentários:

Mistérios do Vale disse...

Carece estar de alma aberta. Minha cara, a sua é belamente escancarada. Paz e bem!
Sônia Gabriel

Zenilda Lua disse...

Minha alma puxa a sua Mulher
festiva de nascença.
Na hora que dói eu também grito,
escrevo, puxo o roxo da raiva
mas depois tudo reluz num sereno
sem posse.
bj'Z e Bem.

Zenilda Lua disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Amanda Lemos disse...

Gostei bastante do Blog.
Muito interessante !

É bom ver a cada dia que passa mais originalidade nessa "blogosfera". :)

Deixo o meu aqui caso queira dar uma olhada, seguir..;
http://bolgdoano.blogspot.com/

Muito Obrigada, desde já !

mural do ajosan disse...

Lindo poema, digno de uma poetisa nata; parabéns amiga das letras.