quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

9 comentários:

priscilaluzdias disse...

Oh Neguita
esse raio de saudade
também sou eu
pod'creditar!
kkkkkkkkkk
feliz 2010
beijos
Pri

Jozivan Antero disse...

Menina! Essa poesia é boa demais!
Abraço Ze"nilda" Lua

Batom e poesias disse...

Sei que essas dores não são só minhas, mas a minha "frô-de- alfazema" tem um jeito de poemar mcom gosto de fruta doce, que lambuza a alma de gostosuras.

A saudade é só uma pausa para a alegria vindoura, minha poeta.

Fique bem.
bjs

Rossana

Rosalinda disse...

As vezes eu quero chorar
mas penso em você, daí esqueço.

Casa disse...

Olá Zenilda
Encontrei o seu blog pela indicação do blog Margem Oposta.
Gostei.
Também temos um blog do mesmo assunto, visite-o, se gostar divulgue-o. Propomos amizade, diálogo.
Um forte abraço. maria josé giglio
visite:
lenhaprafogueira.zip.net

Nydia Bonetti disse...

Não, Ele não nos ignora. Apenas tem um tempo diferente do nosso. Mas nosso lado humano tem tantas urgências... Bonito demais, Zenilda. Beijo

Zenilda Lua disse...

Verdade Nydia
Deus nunca nos ignora
a mim especialmente
ELE está sempre me tangendo
com acenos.
Imagine que esse citado no poema
é um Deusinho desses da Grécia
Um beijo e vamos na fé

DEBORA PAIVA disse...

Flô! "A saudade é o amor que fica"

bjus irmã da magia

mural do ajosan disse...

Essa poesia é divina!! Parabéns, poetisa.