domingo, 18 de maio de 2008

Febre ardósia em dia branco

Quando você saiu de mim
uma plantação de cactus inundou meu peito seco
e eu fiquei estéril
overdose de lágrimas e mistério
isento a todos os assuntos
desabitado incolor, estereotipado.
pronto a desvanecer
ou permanecer inócuo
tentando compreender como é que o amor
pode se entrelaçar em nosso coração
feito cabo de aço ou de vidro moído
e nos puxar assim até sangrar
e nos trancar nessa tenda fria
tão infinita e durável...
me obrigando a dizer sem chorar:
“ Oh pedaço de mim
oh metade amputada de mim
leva o que há de ti
que a saudade dói latejada
é assim como uma fisgada
de um membro que já perdi “.

Zenilda Lua



Um comentário:

Puetalóide disse...

Isso tá bom por demais, poetisa.
Te vira e arranja um título.